APAIXONAR-SE E SER FELIZ

A paixão é algo, assim como o amor, muito falado, exaltado ou julgado. Idealizado.

Assim como o amor, a paixão não é uma história, mas um sentimento.

A paixão é combustível de inspiração, de empoderamento, de ação.

O medo das perdas que mudanças podem trazer é paralisante e a paixão é o que move.

Pessoas bem sucedidas, em quaisquer áreas da vida, são pessoas apaixonadas.

Elas imprimem paixão em suas empreitadas e isso as faz ter alegria e êxtase em cada etapa conquistada, assim como ter a força e a fé necessárias para realizar o que parece impossível à maioria.

Ao escutarmos um desencorajamento de alguém à algum de nossos sonhos, é a voz do nosso medo falando através de alguém.

Ao sermos encorajados a acreditar, seguir e realizar, é a voz da nossa paixão tendo alguém como porta-voz.

Quando bloqueamos a paixão em alguma área da vida, travamos esta força realizadora em todas as outras áreas.

O medo dos riscos coloca a paixão num lugar de sentimento nocivo e perigoso.

Mas a paixão não morre e ela manifestar-se-á sob forma de raiva, de insatisfação.

É o nosso ser gritando que não quer aquele modelo sem riscos.

Não há mudança sem risco. O risco pode ser minimizado através de planejamento e serenidade. Mas é preciso, primeiro, abraçar a paixão como uma grande força vital que conecta a alma ao mundo material, que dá sentido.

Por isso pessoas apaixonadas na área afetiva tendem a ser mais corajosas (cor-agem = agir pelo coração) para suas empreitadas em quaisquer áreas.

Pessoas apaixonadas por seu trabalho são magnéticas e têm grandes chances de atrair uma paixão boa, gostosa.

O controle, querer saber tudo que vai acontecer antes de dar o primeiro passo, bloqueia totalmente a paixão.

Pois a paixão se alegra de desbravar, de descobrir, do inusitado e não das garantias ou de uma linha de chegada.

Quando estamos apaixonados e estamos bem com isso, na área afetiva, não importa o que acontecerá depois. Importa viver plenamente aquelas sensações e ser estimulado por elas. O risco passa a ser fonte benéfica de adrenalina e isto dispara muitas reações biofísicas que se refletem na bioquímica da alegria e do prazer.

Busque a paixão na sua vida, naquilo que está ao seu alcance, mergulhe, acredite. Isso também fará brotar o amor e a admiração que parecerão ser por outrem ou por algo, mas - na verdade - é uma admiração e contentamento consigo mesmo e com sua atitude.


 

Sentir, pensar e agir em harmonia.

Nossas maiores estruturas são o corpo, o propósito e as relações.
  • Relações dentro do corpo entre suas partes e com os corpos mental, emocional, energético;
  • Relação entre seus arquétipos (aspectos de personalidade e papéis sociais);
  • Relações intra e interpessoais.
  • Fluxo em todas as áreas da vida, se retro-alimentando.

Realinhamos estes elementos, de forma sistêmica e multidimensional, para retomar o fluxo da vida e da realização.Viver como num jogo de xadrez, calculando o próximo passo, controlando e administrando reações, gera tensão e compressão.

Sentidos como dores na coluna, articulações, disfunções hormonais, ansiedade, depressão, pânico, obesidade e outros.

Através de dores físicas e emocionais e na vida material, o corpo tenta nos dizer, à todo momento, o que é necessário.

Nosso cérebro assemelha-se a um hardware que opera com softwares (programações). Desinstalamos juntos este software  e instalamos a programação atualizada.

Considerando que nosso software está instalado em rede com o todo, a transferência de dados é ininterrupta e transforma cada célula nossa em cada segundo, sofremos interferências de forma passiva e impotente várias vezes ao dia. As emoções provocam descargas, com emissão de ondas e direito a curto circuito e arquivos fantasmas, vírus e bugs variados.

Somente quando você toma conhecimento, você tem poder de intervenção.

Treine suas partes a seu favor. Está tudo dentro de você.  

Todas as realidades sonhadas/ desejadas já são reais em alguma dimensão de você.

Materializamos a realidade da dimensão que mais alimentamos.