Desista de não receber

Eu me perdôo. Me perdôo por não ter sido grata a tudo que recebi.

Me des-culpo por tudo que julguei como errado para, em seguida, de forma onipotente, me culpar por coisas que, de forma controladora, acreditei que poderia ou deveria ter feito diferente.

Agradeço, entre muitas coisas como meus aprendizados, a força que criei e a coragem que fomentei em mim, primeiramente:

·         A Vida

·         Todo o muito Amor que recebi.  

      Neste momento reconheço e agradeço todo o amor que recebi e recebo. Percebo que sempre fui amada.

Fui amada por aqueles que não corresponderam a minha expectativa, pois eles também tinham buracos de carência e escassez como os meus.

Fui amada pelos que me invejaram e me traíram porque eles não conseguiram perceber sua própria luz e só a enxergaram através de mim, sem se apropriar do que sempre foi deles.

Fui amada pela minha família que me deu tudo e mais ou pouco do que tinham pra dar, muitas vezes criando forças que não existiam para suportar suas próprias dores e, ainda assim, de forma determinada, me mostrar tudo que o mundo tinha a me oferecer, a me presentear, mesmo que eles nunca tenham encontrado tais coisas.

Fui amada por meus amigos que me compreendem em minhas ausências e, ainda assim, me consideram uma boa companhia, influência e conselheira.

Fui amada pela existência que espera pacientemente minha abertura para receber tudo que há a minha disposição em abundância.

Fui amada por meus agressores que ofereceram o que tinham para mostrar como eu era importante para eles.

Fui amada pela espiritualidade que atendeu a todos os meus chamados, procurando com dedicação qualquer sinal que eu fosse capaz de enxergar, compreender e aceitar, mesmo na minha atitude dominadora de querer resolver tudo sozinha.

Fui amada por meu filho que, mesmo tendo buracos como todos nós, vê em mim a luz para ajudá-lo em seu caminho e me deu a chance de perceber e construir toda a minha força e capacidade.

Fui muito, muito amada. Sou amada. Portanto, quem sou eu para não receber?

Generosidade não é doar muito. É saber receber na mesma medida que se doa. Oferecer sem receber é controle, é manipulação.

Estar aberta para ser amada, sabendo que o amor não é para tapar buracos, mas sim para colorir a vida, para atender o chamado de nosso propósito de existência, é um ato de muita coragem.

E hoje eu decido deixar de me enganar de que não fui amada ou que não recebi algo, só para continuar “estando certa” e garantindo a repetição de todos os não recebimentos que eu mesma criei e atraí pra mim para poder, mesmo que de forma velada, me vitimizar.

Reconheço que atraí pessoas com buracos exatamente iguais aos meus e mesmo assim fui amada. Nenhuma situação foi criada por ninguém senão eu mesma. E não me culpo por isso. Elas me fizeram mais forte, tanto que posso olhar para estas experiências hoje, num vôo panorâmico da águia.

Agradeço a todas as minhas mágoas, pois estavam lá só pra que, um dia, no meu tempo, eu visse que quem me magoou era só o meu espelho; agora posso deixá-las ir, pois não há mais nenhum agressor em minha vida, senão eu mesma. E, ainda assim e por isso, me perdôo. Me perdôo por ter vivido tão intensamente a dor. Agora posso viver intensamente o amor.

Percebo que, ainda que eu aceite minha plenitude, felicidade, prosperidade plena e ser e me sentir amada, ainda assim, serei amada por todos que são importantes pra mim e a quem cativei; mesmo que eles não se sintam igualmente amados.

Decido, a partir de agora, tirar a venda dos meus olhos, olhar pros lados e simplesmente RECEBER.


 

Sentir, pensar e agir em harmonia.

Nossas maiores estruturas são o corpo, o propósito e as relações.
  • Relações dentro do corpo entre suas partes e com os corpos mental, emocional, energético;
  • Relação entre seus arquétipos (aspectos de personalidade e papéis sociais);
  • Relações intra e interpessoais.
  • Fluxo em todas as áreas da vida, se retro-alimentando.

Realinhamos estes elementos, de forma sistêmica e multidimensional, para retomar o fluxo da vida e da realização.Viver como num jogo de xadrez, calculando o próximo passo, controlando e administrando reações, gera tensão e compressão.

Sentidos como dores na coluna, articulações, disfunções hormonais, ansiedade, depressão, pânico, obesidade e outros.

Através de dores físicas e emocionais e na vida material, o corpo tenta nos dizer, à todo momento, o que é necessário.

Nosso cérebro assemelha-se a um hardware que opera com softwares (programações). Desinstalamos juntos este software  e instalamos a programação atualizada.

Considerando que nosso software está instalado em rede com o todo, a transferência de dados é ininterrupta e transforma cada célula nossa em cada segundo, sofremos interferências de forma passiva e impotente várias vezes ao dia. As emoções provocam descargas, com emissão de ondas e direito a curto circuito e arquivos fantasmas, vírus e bugs variados.

Somente quando você toma conhecimento, você tem poder de intervenção.

Treine suas partes a seu favor. Está tudo dentro de você.  

Todas as realidades sonhadas/ desejadas já são reais em alguma dimensão de você.

Materializamos a realidade da dimensão que mais alimentamos.