LIBERAR O DESEJO COMO FONTE DE ALEGRIA

Até que ponto seu desejo é a fonte de sua realização e alegria ou é a fonte do conflito e subtração de forças?

O segredo é ver qual divina vontade reside por trás do desejo. Soltar o desejo, liberar e deixar ir. Realizar a divina vontade. O desejo que parte da ilusão de fontes no outro que é, em verdade, uma pretensão de roubar energia disputa de poder. Quando nos conectamos a fonte universal e infinita, somos nutridos para manifestar o que vem ao nosso caminho em alegria e não em posse.

O convite da carta ilustração (As Cartas do Caminho Sagrado– Jamie Sams) é o desapego, soltar, deixar ir, até mesmo velhas certezas ou desejos. Se o desejo se torna uma vontade, então ele fica. Se o desejo não encontra a força da vontade no self, ele é do ego e se torna uma competição entre forças internas e de nós mesmos com o fluxo do rio natural. Subtrai forças internas.

O conflito aparentemente no externo, é um conflito entre vozes internas. Experimentemos ouvir esta música experimentando uma conversa da alma sentimental com a mente racional.

"Não acredito em nada além do que duvido.” (Sereníssima– Legião Urbana- link e letra ao final do texto)

Agora vem o grande X da questão. Reprimir o desejo é uma forma de apego. Sentindo que, se soltarmos se dará o fim de uma história, de um padrão de comportamento ou de crenças e convicções, até mesmo ética, obsoletas que carregamos, decidimos por reprimir o desejo.

O que acontece a partir da repressão é a tristeza. A alegria fica reprimida. Se o desejo é visto como a fonte de prazer e o prazer é reprimido, todas as formas de prazer assim estarão.

Quando retiramos do desejo o peso, a importância, soltamos,deixamos ir a mágoa pelo que não deu certo, a obrigatoriedade de agir assim ou assado, o excessivo querer e, principalmente – este é o segredo – a ilusão de que ali reside nossa satisfação, podemos, então, agradecer e, com amor e suavidade, deixar o desejo , a historia, até mesmo as escolhas feitas em momentos de emergência de permitir ou não permitir, querer ou não querer, ficar ou não ficar, partirem em paz. E o que fica?

O que fica é o que é. É a divina vontade que estava por trás deste desejo. Esta podemos buscar internamente com reabastecimento infinito diretamente  da fonte infinita universal.Mas, para isso, precisamos de ver esta alegria no outro, precisamos abdicar dos conflitos de poder que acontecem, também e principalmente, internamente. O ego diz “Vou conseguir! Vou ficar longe! Vou ser durona!”

A alma fica, então, quietinha, esperando sua vez. Ela é feminina, é água, é não invasiva, é abnegada. Mas, quando isto acontece,problemas de fluxos internos começam a acontecer. Primeiro a alegria, depois a prosperidade e as oportunidades, depois a digestão, depois o ciclo menstrual,as taxas hormonais, depois todas as outras...

Onde há excesso de açúcar, por exemplo, se instaura a cândida. Onde há excesso de tristeza também. Assim como instauram-se outros parasitas astrais. Eles vão comendo toda aquele excesso nocivo e a energia vital começa a cair a níveis imensos.

Transfiram isso para quaisquer outras disfunções metabólicas– diabetes, hipertensão, tireoide etc – mas não esqueçam de atenção especial ao intestino, pois ele é nosso grande “fosso de memórias e formas-pensamento de baixa vibração”. É no intestino que todos os outros processos de disfunção começam a ser desencadeados e a produção autônoma de serotonina e,consequentemente, de melatonina, ficam bloqueados. Assim, bloqueia-se o bem estar, com isso alegria, com isso prazer e sem prazer você comerá mais doces ou outros alimentos nocivos que apresentem memória afetiva pra você. Você obtém afeto em alimentos nocivos porque esqueceu-se de oferecer a si mesmo. Além disso há os alimentos vibracionais, o que entra pelos olhos, pelo nariz, pelos ouvidos,nos pensamentos...

A pessoa fica enfezada, literalmente.

O abdômen, ligado a região do plexo, identidade,posicionamento e defesas, fica inchado, pelo processo de fermentação mas também por um grande escudo de proteção. Proteção de si mesmo que está espelhado no outro e de tudo que possa trazer alegria e risco a seus complexos mecanismos de defesa, construídos tijolo a tijolo, dia apos dia, durante anos,minuciosamente.

Agora vamos a pergunta e reflexão: o que de pior pode acontecer se você retirar o escudo e cuidar com amor e carinho de si mesmo e praticar a conexão com a fonte universal? Pode ser através de contato com a natureza, pode ser prestando atenção na sua respiração, pode ser absorvendo prana de tudo que é belo... existem formas simples e diversas.

O que de pior pode acontecer?

Se você tornar-se lindo, perfeito, saudável e alegre, com quem não se parecerá? Quem é a primeira pessoa que vem à sua mente? (pode ser alguém falecido, você pode estar, inconscientemente, querendo encontrar com esta pessoa, por imensas saudades. Principalmente se você julga que esta pessoa não foi amada o suficiente quando estava aqui, seja por você ou por alguém da relações.)

Esta pessoa que veio em seu pensamento, visualize-se dizendo para ela agora

“Eu aceito que você viva como escolheu (ou que tenha me deixado quando partiu) e te amo mesmo assim. Eu aceito as escolhas de vida que fez e que dediquei até o momento todo o amor que tinha dentro de mim à você para mudar o que considerei fatos, mas eram apenas meu julgamento sobre eles.Agora percebo que foi tudo certo como foi e que, até mesmo o que faltou, foi o espaço para eu construir quem eu sou. Eu me liberto de querer consertar sua história através da minha vida ou de esperar que você seja feliz antes de mim. Eu aceito que eu seja mais feliz, saudável, próspero, alegre e amado que você e me aceito mesmo assim, me respeito mesmo assim. Eu libero e deixo ir todas as minhas autorepressões, autojulgamentos, autocomiserações, assim como todas as crenças que sustentam estes mecanismos de defesa e não amor. Eu recebo e aceito a luz infinita que nutre e cura diretamente da fonte infinita universal. Eu liberto todos os parasitas astrais que contratei para serem livres e absorvidos pela mãe terra. Sinto muito, Te amo, Sou grato. Eu liberto todos os meus auto-obsessores e vidas paralelas. Sinto muito, Te amo, Sou grato. Eu liberto todas as pessoas que me inspiram maus pensamentos e deixo de obsediá-las agora com emoções de baixa vibração e pensamentos julgadores. Sinto muito, Te amo,Sou grato. Eu aceito seguir com leveza, sem estes pesos (visualize-se deixando o peso que carregava de seus ancestrais ao chão, para a mãe terra reciclar). Eu me perdoo de todos os julgamentos que eu mesmo fiz sobre meus atos. Sinto muito, Te amo, Sou grato. Eu sigo honrando cada desejo, sentimento e sensação que se manifestarem em mim. Sinto muito, Te amo, Sou grato. Eu escolho continuar acreditando no amor, na alegria, na doação, na liberdade, na moral em detrimento da ética. Sinto muito, Te amo, Sou grato. Eu aceito a luz e a alegria. Eu aceito a luz e a alegria. Eu aceito a luz e a alegria. Eu sou livre. Eu sou livre. Eu sou livre. Me amo, Sou grato.”

Ao invés de desejar eliminar desejos, medos, ansiedades e insanidades, ouça-os e joguem no mesmo time.

Não deixem para amanhã. Deixe ir, deixe vir, deixe ir, deixe vir, deixe ir, deixe vir, deixe ser.

Ser feliz é ilusão. Ser alegre e amar é agora.

Aho!

 

Giramundo  02/04/2015

 

Música Sereníssima (Ouça esta música, experimentando uma conversa da alma sentimental com a mente racional):

“Sou um animal sentimental

Me apego facilmente ao que desperta o meu desejo

Tente me obrigar a fazer o que não quero

E cê vai logo ver o que acontece

Acho que entendo o que você quis me dizer

Mas existem outras coisas

 

Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade

Tudo está perdido, mas existem possibilidades

Tínhamos a ideia, mas você mudou os planos

Tínhamos um plano, você mudou de ideia

Já passou, já passou - quem sabe outro dia

 

Antes eu sonhava, agora já não durmo

Quando foi que competimos pela primeira vez?

O que ninguém percebe é o que todo mundo sabe

Não entendo terrorismo, falávamos de amizade

 

Não estou mais interessado no que sinto

Não acredito em nada além do que duvido

Você espera respostas que eu não tenho mas

Não vou brigar por causa disso

Até penso duas vezes se você quiser ficar

 

Minha laranjeira verde, por que está tão prateada?

Foi da lua dessa noite, do sereno da madrugada

Tenho um sorriso bobo, parecido com soluço

Enquanto o caos segue em frente

Com toda a calma do mundo”

 

Sereníssima - Legião Urbana

https://www.youtube.com/watch?v=7y6nVRxBUxE

 

<photo id="1" />

SERVIÇOS DISPONÍVEIS

Detalhes no link de cada um: