POR QUE ESTOU SOZINHO?

 
 
POR QUE ESTOU SOZINHO?
Bookmark and Share 

Em primeiro lugar: estar sozinho não deveria ser um lugar de castigo. Estar sozinho é estar consigo mesmo e, se eu não aprecio minha própria companhia, quem haveria de desejá-la? 
É estando conosco, sozinhos, em silêncio, que podemos perceber, de fato, o que nosso coração, o porta-voz de nossa alma, aspira, pelo que ele pede e o mais importante: o que ele tem a oferecer. 
Uma música de que gosto imensamente do grupo Titãs, chamada Porque eu sei que é amor, repete em seu refrão "Eu peço somente o que eu puder dar". 
Esta é a mais importante reflexão: quem somos, o que temos a oferecer. Digo sempre às clientes e amigas: "Um príncipe quer uma princesa. Você já cuidou de ser uma?". 
Em geral vejo as pessoas repetirem como desejam seu par ideal. O problema é que ideal, como o nome já diz, permanece na idéia. 
Percebo que a maioria das pessoas cria um modelo de alma gêmea em sua criação e vai testando até achar uma pessoa real que encaixe naquele modelo ideal. E o que acontece? NADA. Não acontece. É por isso que as relações não acontecem ou não permanecem. 
Deveríamos construir relações e relacionamentos e não predeterminar o final da história e ficar por aí selecionando o ator para vestir o personagem. Isto é apenas uma forma de colocar ter um sonho que nunca se transformará em realidade e ficar reafirmando como "é difícil se relacionar" e ficar repetindo experiências com mesmo final. 
E as pessoas têm o hábito de dizer que nada dá certo ou que é sempre usada. Ora, vemos no outro apenas que temos como parâmetro dentro de nós mesmos. Ficar procurando a pessoa que caiba no seu sonho não é usar também e depois jogar fora, quando percebe que ela não serviu? Mesmo que ela venha a romper a relação, é bem provável que ela tenha se sentido subestimada ou "fora do contexto". 
Falamos de pessoas que, assim como nós, têm falhas, sonhos, desejos, aspirações, traumas, bagagem cultural e religiosa etc. Não falamos de candidatos à um cargo que se comportarão como o esperado para manter-se numa função. Lembre-se: com a mesma tolerância (ou intolerância) que você avalia (ou julga) está sendo avaliado(a) (ou julgado) também. Você também ainda tem que provar que atende as expectativas para o "cargo". 
Compreender o que o outro deseja da relação e permitir com coração que as aspirações sejam diferentes e que, em alguns casos os dois decidirão tentar mesmo assim e, em outros, decidirão por não é um belo ato de amor incondicional. 
Amar quem atende nossas expectativas é muito fácil. Amar quem nos fez bem por um curto tempo, que nos ensinou, de uma forma ou de outra, alguma coisa e permitir que ele(a) siga um novo caminho enquanto nós vamos ao nosso é que é amor incondicional. 
E exercitar o amor incondicional é mostrar ao Universo e a vida que estamos preparados para um amor verdadeiro e duradouro, que nossa alma gêmea já pode chegar. 
E não julgue quem a vida te trouxe e o tempo que durou. A pessoa permanece em nossa vida enquanto há algo para trocar. Quando os caminhos deixam de ser comuns, a relação acaba para que outra possa chegar. E o tempo que a nova demora para acontecer é só o tempo que perdemos lamentando uma perda que nunca existiu, uma partida que é natural e que faz parte da chuva de bençãos de nossa vida. 
Como podemos julgar a pessoa que chega? Que juízes somos nós? Só porque ele(a) não quis ficar conosco a vida inteira?!!! Ele(a) tem este direito, de escolher, assim como nós. E os bons momentos? Onde está nossa gratidão que inspira a vida a nos trazer mais presentes? Uma coisa é certa: ficar um, dois, três, dez anos esperando a alma gêmea sem as relações que temos no "meio tempo" seria um tédio. E terminar estas relações com amizade também é um belo exercício de gratidão a vida e de amor incondicional ao outro que agregou algo enquanto esteve conosco; estas relações é que nos preparam para atrairmos alguém como desejamos. 
E de uma coisa não tenho a menor dúvida e constato a cada dia: atraimos pessoas que tem os mesmos anseios e questionamentos que nós, como uma benção do Universo para que ambos possam aprender um com o outro. 
Portanto, a vida é um eco. Se você não gosta do que está atraindo, preste bem atenção no que está emitindo. 
Ou seja, se você só atrai medrosos, reflita de que tem medo. Então você poderá superar este medo e atrair alguém tão corajoso quanto você. 
Se você atrai pessoas problemáticas, reflita que problemas internos se recusa a olhar e resolver. Bem resolvido(a), você atrairá um semelhante. 
E assim por diante. Ser a pessoa que buscamos, inspirando todos que chegam ao nosso redor, é a única forma de estar pronto para o amor. Alma gêmea já diz, é gêmea, é idêntica a alguém. À quem mesmo? A nós mesmos, portanto precisamos cuidar mais do que temos a oferecer e menos do que esperamos. E ofereçamos já, incondicionalmente, em cada relação que vivemos, sem julgar se o outro merece ou não, pois, enquanto julgamos, há outra pessoa mais corajosa que já está oferecendo. E, assim, nossos parceiros estão sempre partindo e nós cada vez julgando com mais rigor, o que só leva a mais partidas. 
Vamos viver o amor, ao invés de criar na cabeça e ficar esperando que isso se materialize. Viva o amor todos os dias, com sua família, com seu bichinho, com as flores, com as crianças, com seus colegas de trabalho, mostre à vida que você está pronto(a) para o amor. Resumindo, não corra atrás das borboletas, cuide de seu jardim e naturalmente elas virão. 
E, para sermos práticos e atingirmos resultados concretos, proponho um exercício fácil, rápido e de grandes resultados. 
1. Relacione seus três maiores defeitos e suas cinco maiores qualidades 
2. Relacione o que espera que a relação desejada lhe proporcione 
3. Relacione o que você tem a oferecer 
Agora, depois de escritas as três listas, faça uma crítica de coerências e incoerências entre elas, sinceramente, para você mesmo e perceba que INSPIRAR é sempre mais lucrativo e eficiente do que esperar. Seja você seu grande caso de amor.

 


 

Sentir, pensar e agir em harmonia.

Nossas maiores estruturas são o corpo, o propósito e as relações.
  • Relações dentro do corpo entre suas partes e com os corpos mental, emocional, energético;
  • Relação entre seus arquétipos (aspectos de personalidade e papéis sociais);
  • Relações intra e interpessoais.
  • Fluxo em todas as áreas da vida, se retro-alimentando.

Realinhamos estes elementos, de forma sistêmica e multidimensional, para retomar o fluxo da vida e da realização.Viver como num jogo de xadrez, calculando o próximo passo, controlando e administrando reações, gera tensão e compressão.

Sentidos como dores na coluna, articulações, disfunções hormonais, ansiedade, depressão, pânico, obesidade e outros.

Através de dores físicas e emocionais e na vida material, o corpo tenta nos dizer, à todo momento, o que é necessário.

Nosso cérebro assemelha-se a um hardware que opera com softwares (programações). Desinstalamos juntos este software  e instalamos a programação atualizada.

Considerando que nosso software está instalado em rede com o todo, a transferência de dados é ininterrupta e transforma cada célula nossa em cada segundo, sofremos interferências de forma passiva e impotente várias vezes ao dia. As emoções provocam descargas, com emissão de ondas e direito a curto circuito e arquivos fantasmas, vírus e bugs variados.

Somente quando você toma conhecimento, você tem poder de intervenção.

Treine suas partes a seu favor. Está tudo dentro de você.  

Todas as realidades sonhadas/ desejadas já são reais em alguma dimensão de você.

Materializamos a realidade da dimensão que mais alimentamos.