Qual a dificuldade em alcançar a Prosperidade?

A dificuldade reside em algo muito simples. No conceito, no valor.
A questão é: Prosperidade é algo subjetivo e muito confundido com posses ou saldo financeiro. Mas vamos compreender melhor.
Quando somos crianças, nossos ídolos, as pessoas em que confiamos e que inspiram nossos valores são da família.
Quando jovens, são ídolos da coletividade.
Então, alcançamos a Prosperidade dentro daqueles valores que absorvemos.
Algumas pessoas absorvem o valor da segurança, estabilidade; Outras absorvem o valor da liberdade criativa. E cada um ao seu modo, sintonizando ou negando com mesmo grau de importância - portanto, também valorizando - o que mais tarde será apontado como valores pessoais.
Na fase de juventude, que é fase da construção, vamos construir a Prosperidade dentro do que compreendemos que ela é. Ou seja, algo que nos faz vivenciar estes valores ratificados dentro de nós.
Isto é ressaltado com o fato de que todo o sistema sociocultural em que vivemos valoriza a questão financeira. E vamos fortalecendo crenças de que nossos valores serão alcançados ou permitidos pela abundância financeira.
Porém, em algum momento da vida, nossos valores reais, internos, de alma, começam a gritar para serem escutados. Na maioria das vezes não estamos vivendo em sintonia com eles, pois este reavaliar-se, morrer e renascer repetidas vezes na vida está ligado ao nosso potencial evolutivo inerente.
Acontece, então, a insatisfação. Isso vai se repetir muitas vezes na vida. Em ciclos de evolução e transformação. Mas as crenças estão lá, sustentadas por uma crença coletiva muito forte e isso sobrepuja nossos valores internos.
Daí aparecem muitas fórmulas para se alcançar a Prosperidade. Mas como, se a prosperidade é algo subjetivo e depende dos valores internos que ainda precisam ser descobertos? Como se isso depende de modificar crenças, buscar crenças fortalecedoras de empoderamento e isso ameaçará a identidade conquistada até então?
O responsável
O comprometido
O prudente
O bom filho
O abnegado...
Aí é que reside a dificuldade.
Na decisão de deixar morrer esta identidade e decidir ser algo novo, ser um bebê novamente, vulnerável e cheio de riscos.
Nosso ego, abençoadamente, para nos garantir segurança, trará todos os medos a tona. Mas não de maneira clara e evidente. E sim com pequenas escolhas que sempre evitam o risco e optam pelo controle e por cumprir os compromissos desta identidade que já está obsoleta.
Se Prosperidade é um sentimento de que nada falta e a sintonização com o que já se possui e a decisão de tirar o foco do que faltou ou falta, como isto será possível mantendo esta identidade que alcançou o reconhecimento que todo ser humano busca por natureza, sintonizado na motivação pela dificuldade e na superação como super herói?
Simplesmente são valores incompatíveis.
Primeiro é preciso buscar o que é Prosperidade para você.
Pode ser mais simples buscando alguém para modelar. Ou seja, quem é que tem a vida mais próxima do que você gostaria de ter? Não será igual, mas o mais próximo, com modificações simples a serem feitas.
Você precisa enxergar que esta pessoa primeiro priorizou seus valores e a abundância financeira é uma consequência natural de escolhas, muitas vezes de simplesmente tirar o peso da necessidade de resultados financeiros.
Se a noção de segurança ou do seu valor fica sobre o dinheiro, então é um peso tão grande que te afastará dele. Porque seu Eu escolheu os valores e não mais o dinheiro.
Então é por isso que a maioria das pessoas têm dificuldade de se perceberem prósperas, até as que já são. Porque elas já são prósperas pelas escolhas que fizeram, mas ainda precisam mostrar a sociedade o valor da sociedade - da poupança gorda no banco - e não se vêm vitoriosas nas escolhas sobre seus próprios valores.
Se sentem culpadas por não mais proverem todos para ter controle. Se sentem culpadas por se priorizarem. Se sentem culpadas por terem tempo livre para criatividade, saúde e autocuidado. Se sentem culpadas por não seguirem o modelo coletivo e estarem focadas em sua felicidade.
Com isso perdem força e perdem a sintonia com o sentimento. Porque a Prosperidade é um sentimento e não uma meta.
Um bom exercício é listarmos todas as escolhas que já fizemos em prol do nosso bem estar e honrar nossos valores. Isso é Prosperidade.
Listar o que é mais importante pra você na vida, nas pessoas e nas relações. O que hoje para você é inegociável. O que está e como está nas pequenas rotinas do seu dia a dia?
Vou dar meu exemplo.
Um dia percebi que achava que a segurança era meu valor mais forte, mas na verdade este era a Liberdade. Então a segurança me dá liberdade de escolha e, por isso, é importante. Mas o prioritário é a liberdade.
Daí entendi minha dificuldade que sempre tive com hierarquias e acolhi, pois faz parte do valor mais precioso que tenho a compartilhar com as pessoas. O direito e a responsabilidade de pautar sua vida em escolhas, em todas as suas áreas. E ter que reescolher sempre. Reconhecer que estava errado, que não calculou bem e mudar a rota sem peso e sem autopuniação. Naturalmente como alguém que cresceu e se responsabiliza sem ter que mostrar resultados.
Então liberdade para mim é inegociável. Por isso preciso de carga horária diária que me dê isso, preciso de amizades que me permitam isso, preciso de rotinas, dietas e filosofias que me permitam isso. Mas preciso de coragem para me ver próspera ganhando menos do que ganhava quando não tinha liberdade. Por que liberdade é uma riqueza superior a riqueza que o dinheiro me ofereceria, diante desta comparação e escolha. O próximo passo fica sendo alcançar mais sem perder liberdade. E assim a vida flui e continua, baseada em escolhas. Afinal, eu é que priorizei ter escolhas a todo instante.
Qual seu valor de alma?
O que é inegociável para você?
Que escolhas da sua vida te trouxeram isso?
Para quem você precisa devolver o peso da autocobrança de alcançar o que não é seu valor? Devolva com amor e gratidão, pois aprendeu muito com isso.
De que forma o seu valor pessoal de alma pode te conduzir a mais felicidade e sentimento próspero sobre o que já possui.
Esta é a hora.
Aceite ser próspero, mesmo com todo o desapego que trará de suas antigas autovalorizações.
Sejamos felizes.
 


 

Sentir, pensar e agir em harmonia.

Nossas maiores estruturas são o corpo, o propósito e as relações.
  • Relações dentro do corpo entre suas partes e com os corpos mental, emocional, energético;
  • Relação entre seus arquétipos (aspectos de personalidade e papéis sociais);
  • Relações intra e interpessoais.
  • Fluxo em todas as áreas da vida, se retro-alimentando.

Realinhamos estes elementos, de forma sistêmica e multidimensional, para retomar o fluxo da vida e da realização.Viver como num jogo de xadrez, calculando o próximo passo, controlando e administrando reações, gera tensão e compressão.

Sentidos como dores na coluna, articulações, disfunções hormonais, ansiedade, depressão, pânico, obesidade e outros.

Através de dores físicas e emocionais e na vida material, o corpo tenta nos dizer, à todo momento, o que é necessário.

Nosso cérebro assemelha-se a um hardware que opera com softwares (programações). Desinstalamos juntos este software  e instalamos a programação atualizada.

Considerando que nosso software está instalado em rede com o todo, a transferência de dados é ininterrupta e transforma cada célula nossa em cada segundo, sofremos interferências de forma passiva e impotente várias vezes ao dia. As emoções provocam descargas, com emissão de ondas e direito a curto circuito e arquivos fantasmas, vírus e bugs variados.

Somente quando você toma conhecimento, você tem poder de intervenção.

Treine suas partes a seu favor. Está tudo dentro de você.  

Todas as realidades sonhadas/ desejadas já são reais em alguma dimensão de você.

Materializamos a realidade da dimensão que mais alimentamos.