SOZINHA

Estou sozinha agora.

Já ouviram aquela frase: "Ouçam o silêncio" ?
Estou ouvindo o silêncio. E quando ouço o silêncio, consigo escutar minha alma.
Minha alma dança no silêncio, sorri no silêncio, sente vontade de sair e amar no silêncio.
Qual a felicidade que existe no silêncio? A dádiva de poder se escutar. 
Quando estou sozinha, não estou sozinha. Quando estou sozinha, estou com todas que sou eu.
Quando estou sozinha estou sem as máscaras, sem os vestidos, sem as armaduras, sem as palavras esperadas.
Quando estou sozinha sempre sou linda;
Quando estou sozinha sempre sou apreciada
Quando estou sozinha sou, sou, sou...
Quando estou sozinha descubro quem sou, descubro o que sinto.
Quando estou sozinha não me rejeito, não rejeito quem sou, não rejeito o que sinto, porque, senão, dói ficar sozinha.
Quando estou sozinha posso ser sincera em saber que a beleza do que atraio de fora é proporcional à beleza que tenho por dentro.
Quando estou sozinha me olho no espelho, me admiro e sorrio para mim.
Quando estou sozinha agradeço pela vida, pela saúde, pelas pessoas que me amam e não desistem de mim.
Quando estou sozinha me invado de amor por mim mesma e começo a procurar quem está disponível para receber o amor que eu tenho para compartilhar.
Quando estou sozinha, sei que estar sozinha é uma opção, pois existem muitas pessoas lá fora precisando e desejando meu amor.
Quando estou sozinha me sinto muito próxima de Deus, porque eu consigo escutar seus passos bem dentro de mim.
Quando estou sozinha eu sou Deus e, de repente, descubro que o faz de conta vira realidade.
Quando estou sozinha, escuto tantos sons em volta de mim que descubro que nunca estamos mesmo sozinhos...
Adriana Mangabeira
06/09/09
"Silêncio
A energia do todo se apossou de você. Você está possuído, você nem mesmo existe mais: o que existe é o todo. 
Neste momento, à medida que o silêncio o penetra, você vai sendo capaz de compreender a significância dele, porque é o mesmo silêncio vivenciado pelo Buda Gautama. É o mesmo silêncio de Chuang Tzu ou Bodhidharma, de Nansen... O sabor do silêncio é o mesmo. 
Os tempos mudam, o mundo continua se transformando, mas a experiência do silêncio, a alegria que vem dele, permanece a mesma. Essa é a única coisa em que você pode confiar, a única coisa que nunca morre. Esta é a única coisa que você pode chamar de seu próprio ser." 
Osho

 


 

Sentir, pensar e agir em harmonia.

Nossas maiores estruturas são o corpo, o propósito e as relações.
  • Relações dentro do corpo entre suas partes e com os corpos mental, emocional, energético;
  • Relação entre seus arquétipos (aspectos de personalidade e papéis sociais);
  • Relações intra e interpessoais.
  • Fluxo em todas as áreas da vida, se retro-alimentando.

Realinhamos estes elementos, de forma sistêmica e multidimensional, para retomar o fluxo da vida e da realização.Viver como num jogo de xadrez, calculando o próximo passo, controlando e administrando reações, gera tensão e compressão.

Sentidos como dores na coluna, articulações, disfunções hormonais, ansiedade, depressão, pânico, obesidade e outros.

Através de dores físicas e emocionais e na vida material, o corpo tenta nos dizer, à todo momento, o que é necessário.

Nosso cérebro assemelha-se a um hardware que opera com softwares (programações). Desinstalamos juntos este software  e instalamos a programação atualizada.

Considerando que nosso software está instalado em rede com o todo, a transferência de dados é ininterrupta e transforma cada célula nossa em cada segundo, sofremos interferências de forma passiva e impotente várias vezes ao dia. As emoções provocam descargas, com emissão de ondas e direito a curto circuito e arquivos fantasmas, vírus e bugs variados.

Somente quando você toma conhecimento, você tem poder de intervenção.

Treine suas partes a seu favor. Está tudo dentro de você.  

Todas as realidades sonhadas/ desejadas já são reais em alguma dimensão de você.

Materializamos a realidade da dimensão que mais alimentamos.