INTERDEPENDÊNCIA

Os membros de cada espécie são similares, mas nunca iguais e você é único e especial. Não há nenhum ser igual a você.

Qual seria o sentido da inevitável e inabalável diferença entre cada um de todo e qualquer ser do planeta? A complementaridade.
A Humanidade passou por diferentes fases e, falando de forma simplista aplicada ao nosso tema, houve a fase de predomínio da competição (guerras e barbáries), a fase do individualismo (culto à autonomia e independência, ainda competição) e hoje estamos na fase da Interdependência.
Interdependência é ser independente e autônomo, mas inteligente o suficiente para usufruir das diferenças e complementaridades, é a fase das parcerias que estamos vivendo.
Alguém tem talentos que eu não tenho e pode fazer infinitamente melhor que eu determinadas tarefas, podendo, com isso, abrilhantar e destacar meu trabalho.
Não mais competir, mas co-existir e, sim, tirar proveito, com respeito, das diferenças.
Chegamos à um ponto importante: co-existir, conviver.
Mais que nunca é necessário, em primeiro lugar, nos tornarmos seres inteiros, plenos, conscientes de nossos potenciais, talentos habilidades e pontos a desenvolver. É necessário termos segurança no que nos realiza, o que nos faz feliz, o que desejamos fazer da vida afinal? Como desejamos enriquecer? É necessário se conhecer antes de qualquer coisa.
Depois de se conhecer, precisamos conhecer quem está ao nosso redor. Saber que companheiros precisamos no caminho, quem é realmente bom naquilo que não gosto ou não sei fazer para tornar meu trabalho ou qualquer coisa que eu fizer simplesmente irresistível.
Após conhecer o outro, preciso conviver. E para conviver é necessário respeito. Se me conheço e me respeito, não me impondo tarefas que não me fazem feliz, fica mais fácil.
O respeito por mim e pelo outro e a admiração pelo que o outro faz melhor que eu, em lugar da inveja, é o caminho para estabelecer parcerias de imenso sucesso, imbatíveis. E elas não precisam durar a vida inteira. Pode ser que sim, pode ser que não. Como qualquer relação do século XXI, a parceria nos traz a liberdade de preservação da autonomia e da individualidade, fazendo com que a relação perdure enquanto for boa para todos os envolvidos. Boa não é ser cor de rosa. Boa é ter um saldo positivo, onde a tolerância, a admiração, a convivência e o respeito são preservados.
Além de preservar a convivência, conhecer-se bem e conhecer o outro em menor tempo possível no que é relevante, pode render resultados imensos.
Não só com meu parceiro profissional, mas com meu cliente, com meu cônjuge ou amigo, "sacar" como o outro entende faz com que falemos o que ele entende e não o que pensamos; Faz com que vendamos o que ele compra e não o que temos em estoque; Faz com que digamos os argumentos que convencem e não os em que acreditamos.
As comunicações e relações bem sucedidas são aquelas em que há vínculo. O vínculo não é resultado de tempo de relacionamento, mas de empatia. Empatia pode ser imediata ou inócua por anos.

SERVIÇOS DISPONÍVEIS

Detalhes no link de cada um: